Semana do Pescado

Florianópolis, 31.08.2021

0
39
Santa Catarina se destaca na produção nacional de pescados

Estimular o consumo de peixes e frutos do mar em todo o Brasil, fomentando a alimentação saudável e o crescimento dessa cadeia produtiva, é o objetivo da 18ª Semana do Pescado, que vai de 1º a 15 de setembro. A campanha é realizada por integrantes do setor produtivo, com apoio de entidades públicas e privadas. A Epagri, empresa do Governo de SC que trabalha com pesquisa agropecuária e extensão rural e pesqueira, participa como apoiadora da iniciativa.

A Semana é uma organização de toda cadeia de pescados para realizar ações promocionais e gastronômicas simultâneas em todo o Brasil. O evento é considerado a “segunda quaresma” por estimular o consumo e registrar um aumento de mais de 30% nas movimentações do setor, estimulando até mesmo a busca pelo pescado nos meses seguintes.

O objetivo é que cada entidade, empresa, restaurante, peixaria, supermercado, empreendimento, pessoa física ou jurídica use a Semana do Pescado para impulsionar seus negócios e produtos com promoções, eventos gastronômicos ou outras iniciativas que estimulem a venda e o consumo desses alimentos.

Pescado em Santa Catarina

Santa Catarina tem lugar de destaque na produção nacional de pescados, tanto nos produtos da pesca quanto da aquicultura. O estado é reconhecido como o maior polo pesqueiro do Brasil e conta com uma frota de cerca de 700 embarcações industriais e mais de 50 mil pescadores, que contribuíram para exportação de 22,7 mil toneladas de peixes, crustáceos, moluscos e derivados em 2020, gerando uma receita de US$38,5 milhões.Santa Catarina é o maior produtor nacional de moluscos bilvalves cultivados

Santa Catarina é o maior produtor nacional de moluscos bilvalves cultivados

“No que se refere à produção de pescado por aquicultura, Santa Catarina é o maior produtor nacional de moluscos bivalves cultivados (ostras, mexilhões, vieiras) e o 4º produtor de peixes de água doce”, destaca André Luís Tortato Novaes, gerente do Centro de Desenvolvimento em Aquicultura e Pesca da Epagri (Cedap). Na safra 2019/20, o estado produziu 15,1 mil toneladas de moluscos bivalves, gerando uma movimentação financeira bruta de R$92,8 milhões.

A produção de peixes pela piscicultura continental na mesma safra foi de 46,7 mil toneladas, movimentando R$222,7 milhões. As tilápias foram responsáveis pela maior geração de receita, com 76,6% do total, seguidas pelas carpas, com 15,4%.

O grupo de pescados inclui peixes (de água doce e de água salgada), crustáceos (camarão, caranguejos e siris) e moluscos (polvos, lulas, ostras e mariscos). “De uma forma geral, no Brasil, os peixes são os alimentos mais consumidos do grupo de pescados”, informa a nutricionista Cristina Ramos Callegari, da Epagri.

Peixes são alimentos ricos em proteínas de alto valor biológico e têm baixo teor de gordura saturada (Foto: Pesque e Pague e Restaurante Dori)

Qualidade nutricionalPeixes são alimentos ricos em proteínas de alto valor biológico e têm baixo teor de gordura saturada (Foto: Pesque e Pague e Restaurante Dori)

Assim como os outros tipos de carne, os peixes são ricos em proteínas de alto valor biológico, ferro de boa disponibilidade, zinco e vitamina B12. Uma vantagem adicional, explica Cristina, é o fato de eles conterem reduzido teor de gordura saturada e de calorias. “Também são ótimas fontes de vitaminas D e do complexo B, e de minerais como cálcio, selênio, iodo, magnésio, fósforo e cobre. Em especial, os peixes são fontes de ácidos graxos poli-insaturados do tipo ômega 3, que apresentam efeitos benéficos para a saúde”, acrescenta a nutricionista.

_________________________________

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui