Receitas para uma Agricultura Sustentável

Florianópolis, 22.06.2021

0
55
Insumos naturais são alternativas para o cultivo de alimentos orgânicos

Um curso sobre agricultura sustentável reuniu agricultores, técnicos e estudantes de Curitibanos no mês de maio. O grupo aprendeu sobre adubação racional de hortaliças e preparou três insumos naturais: inoculante (microrganismos eficazes), adubo bokashi simples e biofertilizante líquido caseiro chamado no Japão de tenkei-jiru, que significa “suco abençoado”. A capacitação foi ministrada pelo engenheiro-agrônomo Kunio Nagai e organizada pela Epagri, empresa do Governo de SC, em parceria com a Pirapora Agropecuária e a Coper Planalto Sul.

O objetivo do evento foi fortalecer a produção agroecológica na região. “A qualidade dos materiais produzidos torna esses produtos importantes ferramentas para produção orgânica e a sustentabilidade do sistema”, destaca Juliana Golin Krammes, engenheira-agrônoma da Epagri de Curitibanos.

O instrutor Kunio relatou sua experiência e os resultados obtidos por meio de um sistema de adubação racional de hortaliças, com cálculos baseados na extração dos elementos pela cultura e na análise química completa do solo. Na sequência, os participantes prepararam os insumos naturais.

Adubo bokashi

O grupo teve a oportunidade de acompanhar como é feito o adubo bokashi, que significa “composto orgânico” em japonês. O adubo bokashi é um composto altamente nutritivo que melhora as condições biológicas do solo e a disponibilidade de nutrientes para as plantas. Ele tem baixo custo e é produzido a partir de uma mistura de materiais como farelo de arroz, esterco, melaço, pó de rocha e um inoculante constituído por microrganismos eficazes do solo, que podem ser coletados na propriedade, na mata ou no bambuzal. Confira as receitas do curso, retiradas do livro “Novas técnicas agrícolas japonesas”, de Kunio Nagai e Akira Kishimoto:

Adubo bokashi melhora as condições biológicas do solo e a disponibilidade de nutrientes para as plantas.

INOCULANTE PARA ADUBOS

Modo de preparo:

– Em um cocho de bambu cortado ao meio, preencha até a metade com arroz sem sal, cozido apenas na água.

– Feche o cocho com a parte superior do bambu, amarre com arame, elástico ou barbante e coloque-o no bambuzal ou na mata, no solo, em meio às folhas secas caídas.

– Proteja a área com uma tela de arame para evitar o ataque de animais.

– Em período muito seco, convém umedecer o solo onde será colocado o cocho.

– Deixe o cocho no local por 3 a 5 dias, dependendo da temperatura ambiente. Após alguns dias, haverá no arroz bolor branco, rosa, verde, amarelo, etc. O bolor de cor negra deve ser eliminado.

– Coloque o arroz embolorado em um balde de 20 litros com água de poço e acrescente 2kg de açúcar mascavo (ou melaço) ou 10 litros de caldo de cana.

– Depois de cinco dias, coe o inoculante e ele está pronto para ser usado. Armazene o líquido em vasilhames bem limpos e secos, isentos de contaminantes, tomando cuidado para deixar a tampa com folga para a saída de ar provocada pela fermentação.

ADUBO BOKASHI

Ingredientes (para produção de 1 tonelada):

– 450kg de farelo de arroz

– 250kg de esterco de poedeira ou farelo de mamona, soja, farinha de chifre

– 250kg de farinha de osso, fosfato natural, Biorin ou termofosfato

– 50kg de pó de rocha

– 3kg de melaço ou açúcar mascavo (ou 15 litros de caldo de cana)

– 3 litros de inoculante (coletado de acordo com a receita anterior)

– 300-350 litros de água, dependendo da umidade dos ingredientes

Modo de preparo:

Misture os ingredientes de forma mais uniforme possível.

Umedeça a mistura com água até atingir 50% de umidade: quando se aperta um punhado da mistura, ele fica moldado, sem escorrer água entre os dedos, e se desmancha facilmente ao ser tocado. O monte deve ser coberto com sacos de aniagem para conservar o calor e evitar o ressecamento da superfície nos primeiros dias.

Haverá elevação da temperatura pela fermentação aeróbica, e quando o monte atingir 50-60°C, deverá ser revirado. Pode ser necessário revirar mais de uma vez por dia, dependendo da temperatura ambiente. Quando a fermentação termina, a temperatura se estabiliza, o que ocorre depois de sete dias.

Modo de aplicação:

A dosagem de aplicação do bokashi varia conforme o tipo e solo e a cultura, mas pode ser usada uma base de 1 a 5 toneladas por hectare ou de 100 a 500 gramas por metro quadrado. Quando está com umidade de 12%, o adubo pode ser ensacado e armazenado por até seis meses.

ADUBO LÍQUIDO CASEIRO TENKEI-JIRU

Ingredientes (para produção de 200 litros):

– 2 sacos de tela de nylon utilizados para embalar batata (ou 3 sacos para embalagem de cebola) cheios de biomassa vegetal (brotos novos de plantas nativas: como capim, tiririca, artemisia, bambu, etc) e com uma pedra no fundo para servir de peso

– Tambor de 200 litros

– 150 litros de água

– 5kg de farelo de arroz

– 2kg de açúcar mascavo ou melaço (ou 10 litros de caldo de cana)

– 1 litro de inoculante

Sacos cheios de biomassa verde são usados no preparo do fertilizante líquido.

Modo de preparo:

Coloque uma travessa de madeira (bastão) sobre o tambor e pendure nela os sacos cheios de biomassa. Coloque os outros ingredientes dentro do tambor e agite o líquido com uma pá de madeira duas vezes ao dia, para forçar a aeração e facilitar a fermentação.

A fermentação se completa em 2 a 3 dias. Depois de pronto, o líquido assume a cor verde-amarelada e emana cheiro agradável de fermentação alcoólica. Coe a calda e armazene em local adequado.

Aplicação:

A calda pode ser usada com diluição de 5 a 10% (5 a 10 litros em 95 a 90 litros de água) para pulverização foliar e de 10 a 20% (10 a 20 litros em 90 a 80 litros de água) para aplicação no solo.

Confira no link como capturar os microrganismos eficientes do solo: https://youtu.be/ScH9KJSqEEw.

_________________________________

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui