Exportação de SC cresce 36,3% em maio

Florianópolis, 10.06.2021

0
24

Soja, carne de aves, carne suína, madeira compensada e motores elétricos puxaram o desempenho positivo das vendas externas catarinenses, informa o Observatório FIESC.

As exportações de Santa Catarina cresceram 36,3% em maio na comparação com o mesmo mês em 2020. Soja, carne de aves, carne suína, madeira compensada e motores elétricos foram os produtos que puxaram o desempenho positivo no período, informa a análise do Observatório FIESC, elaborada a partir de dados do Ministério da Economia. No acumulado de janeiro a maio, os embarques do estado somaram US$ 3,8 bilhões – um aumento de 11,2% em relação ao mesmo período de 2020.

O presidente da FIESC, Mario Cezar de Aguiar, observa que o resultado positivo é influenciado pelo desempenho da economia internacional. “Estados Unidos e China são nossos principais parceiros comerciais e são economias que retomaram com força. No caso da China, o país foi o primeiro a sair da crise provocada pela pandemia, e está comprando diversos produtos, principalmente commodities, para formação de estoques. Nos Estados Unidos, o ritmo da vacinação combinado aos pacotes de estímulo do governo aceleraram o crescimento do país”, explica. 

A análise da FIESC mostra que o principal produto exportado por Santa Catarina em maio foi a soja, com montante negociado de US$ 143,8 milhões. No período, também destaca-se o aumento de 169,2% na exportação de madeira compensada, puxada principalmente pela demanda dos Estados Unidos, o que o consolida cada vez mais como o principal comprador do produto.

O setor de alimentos e bebidas permanece como o mais representativo na pauta de exportações, com participação de 32,2%. O principal comprador é a China, com um terço das compras, principalmente de carnes suína e de aves. Destaque também para o setor metalmecânico e metalúrgico, com crescimento de 206% em relação ao mesmo período de 2020. Países do Mercosul foram os principais demandantes de laminados e peças de ferro e aço, informa a análise do Observatório FIESC.

Em relação às importações, Santa Catarina registrou expansão de 106,9% em maio na comparação com maio de 2020. Nos primeiros cinco meses do ano, as importações catarinenses somaram US$ 9,9 bilhões, uma elevação de 56,4% na comparação com o mesmo período do ano passado.

O recente aumento nas compras externas catarinenses está fortemente atrelado à expansão da produção industrial. Os insumos industriais possuem forte participação na pauta importadora do estado, sobretudo nos setores de produtos químicos e plásticos, metalmecânico e metalúrgico, indústria automotiva e tecnologia da informação e comunicação. Juntos, estes quatro setores abrangeram 58,1% do total importado por Santa Catarina em maio, destaca a análise da FIESC.

Dentre as principais origens das importações catarinenses, a China segue sendo o maior fornecedor, com 37,4% de participação. O montante negociado de produtos chineses registrou aumento de 87,3% em relação a maio do ano passado, com destaque para os semicondutores, revestimentos de ferros laminados e aquecedores elétricos. Já as importações do Chile destacam-se pelo aumento de 248,3%, especialmente pelo consumo de cobre, que registrou expansão de 473,1% em maio na comparação com o mesmo mês em 2020.

_________________________________

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui