COFEM avalia desafios empresariais nas áreas de tributos e infraestrutura

06.02.2024.

Representantes das federações debateram temas como a regulamentação da reforma tributária, investimentos nas rodovias federais catarinenses e a necessidade de ampliação do efetivo no porto seco de Dionísio Cerqueira

Preocupação constante do empresariado catarinense, os desdobramentos da Reforma Tributária foram pauta da reunião do Conselho das Federações Empresariais de Santa Catarina (COFEM) na manhã desta segunda-feira (5/2).

Os representantes das federações voltaram a discutir os impactos da regulamentação da reforma nos diversos segmentos e também eventuais perdas de receita do Estado.

Na avaliação dos membros do COFEM, a regulamentação pode alterar completamente o objetivo da Reforma Tributária e é preciso ficar atento às propostas e reagir em defesa dos interesses do empresariado e da sociedade catarinense.

Atento também aos desdobramentos políticos em torno da Medida Provisória editada pelo Governo Federal que revisa a desoneração da folha de pagamento das empresas, o COFEM também debateu alternativas para buscar, junto com a bancada catarinense no Congresso, a manutenção da medida aprovada pelo Legislativo e que estende os incentivos até 2027. 

Assunto recorrente na pauta do COFEM, a infraestrutura segue como prioridade. As entidades debateram os efeitos negativos das condições atuais das rodovias, em especial as federais, para a economia do Estado. Os membros do conselho destacaram a situação das filas e engarrafamentos da BR 101 e lembraram que o estado acaba perdendo atratividade no turismo, com impactos significativos no comércio e nos serviços.

As longas filas de caminhões esperando pelo despacho aduaneiro no porto seco de Dionísio Cerqueira também foram avaliadas na reunião. O conselho das entidades fará uma manifestação formal ao Ministério da Agricultura e Receita Federal para que aumentem o efetivo no posto de atendimento da cidade do extremo oeste para agilizar o processo aduaneiro no local. 

O COFEM é composto pelas Federações das Indústrias (FIESC), do Comércio (FECOMÉRCIO), da Agricultura (FAESC), dos Transportes (FETRANCESC), das Associações Empresariais (FACISC), das Câmaras de Dirigentes Lojistas (FCDL), das Micro e Pequenas Empresas (FAMPESC), além do Sebrae-SC.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui